Já imaginou como seria o mundo sem games?

Os jogos eletrônicos, que antes eram considerados apenas brincadeira de criança, atualmente representam uma atividade que alcança todas as idades, gostos e gêneros.  Além dos games tradicionais, hoje é possível encontrar jogos que são voltados para as mais diferentes áreas, como política, educação, negócios, saúde, entre muitas outras. Diversas plataformas, consoles e interfaces criam um verdadeiro universo dos games.

atari-gamesO sucesso se reflete no números do mercado: a indústria dos games já superou o faturamento do mercado de Música e Cinema juntos.

Você já parou para pensar como seria do mundo sem games?

Cá entre nós, um mundo sem games seria um mundo menos criativo, menos divertido e mais distante da fantasia. Entrar nesse universo ajuda a aprender coisas novas, acumular conhecimentos, interagir com outros players, trabalhar em equipe, despertar a criatividade e criar a sua própria fantasia.

Os jogos unem pessoas e divertem os jogadores. Os games não são apenas uma forma de entretenimento, eles transformam o mundo e contribuem para a sociedade em diversos aspectos.

Influência da indústria dos games na sociedade

Com o crescimento da indústria de videogames, a sociedade passou por inúmeras mudanças, às vezes até imperceptíveis. Impactos históricos, culturais e na maneira de viver foram sofridos por seu efeito que transformou a sociedade.space-invaders-a-era-dos-games

Você pode até não acreditar, mas a era virtual em que vivemos foi fortemente influenciada pelos jogos de videogame. As redes sociais, por exemplo,  tão presentes em nossas vidas, são idealizadas como funções de um game.

Vamos pensar no Twitter: você escolhe o seu avatar, ganha seguidores e está sempre em busca do Trending Topics. Estamos sempre competindo em busca de mais likes, compartilhamentos, followers. É ou não é a lógica de um jogo? Seria uma gamificação da vida?

O que é Gamificação?

Do inglês Gamification, o termo Gamificação significa aplicar técnicas visuais e mecânicas dos games na vida real para engajar e motivar os usuários a chegarem a um determinado objetivo. As principais ferramentas usadas na gamificação são:

  1. Pontuação;
  2. Níveis e fases;
  3. Medalhas, recompensas e premiações (virtuais ou físicos)

As empresas, por exemplo, vêm enxergando cada vez mais o potencial dos jogos para melhorar os resultados de suas equipes. Com o objetivo de engajar funcionários, oferecer treinamentos ou até mesmo apresentar um novo produto, os games corporativos podem ser muito mais eficientes que outros métodos.

O universo lúdico dos jogos traz ao usuário diversão, foco, colaboração, criatividade e produtividade.

A estratégia de gamificação não é aplicada só no ramo empresarial. Inúmeras marcas hoje fazem uso dela para engajar e vender seus produtos ou serviços. Um bom exemplo é a Duolingo, plataforma digital em que você aprende uma língua através de um formato totalmente embasado na gamificação. O usuário escolhe o idioma, ganha e perde pontos, cumpre objetivos, passa de fase e pode até disputar com os amigos.

Outro exemplo é o aplicativo de navegação Waze, nele os motoristas também podem acumular pontos, subir no ranking, além de ser colaborativo, ou seja, os próprios usuários contribuem para que o serviço funcione de forma eficiente.

O que achou? Deixe nos comentários como acha que seria o mundo sem games!

Visite a Exposição a Era dos Games e descubra muito mais sobre esse universo

Para visitar A Era do Games basta adquirir o seu ingresso clicando aqui.

Datas, locais e valores:

  • São Paulo: de 16 de agosto a 12 de novembro, na Bienal – Parque do Ibirapuera
  • Rio de Janeiro: de 06 de dezembro a 05 de março, no Museu Histórico Nacional

Ingressos: R$ 40 inteira e R$ 20 meia.